domingo, 3 de outubro de 2010

Acorda

E essa brisa que me canta,
Me abala
Me atrapalha
Me domina

E que me faz pensar..

Que a vida é a roda que se instala,
Se aproveita
Se desliza
Se desbanda

Se vicia nesse mundo inconstante..

E essa flauta que me conta,
Que se nota
Que a muda dessa planta somos nós.
E eu acordo, num estalo e entendendo
Que esse mundo não é tão feroz.

domingo, 8 de agosto de 2010

Às vezes não.

Sabes?
Baralhas-me.
Se nos teus olhos não vejo os meus olhos.
Se as tuas mãos se tornam de repente oblíquas,
ao invés de quadradas.
Se o mar, que foi sempre vermelho, é agora azul.
Sabes?
Nem sempre entendo a geometria da nossa relação.
Se eu penso em pássaros e tu me falas de Kant.
Se me reservas sorrisos enigmáticos e poucas palavras.
Se decides, sem eu saber, que a partir de amanhã só
comes pastilhas de hortelã.
Sabes?
Queria rir hoje como sei que vamos rir amanhã,
estatelar-me na relva e voar contigo até ao centro da
terra, os cabelos ao vento, o medo a gritar-nos aos
ouvidos, uma súbita e inesperada estalada de cores.
Sabes?
Não?
Gostaria que soubesses.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Sono de uma Pátria.



Estamos passando por um momento na realidade brasileira, um ano de intensas mudanças e concretizações de sonhos de intensos brasileiros. Há 8 anos quando elegemos o 1ºpresidente, que realmente se importou em fazer melhorias e ainda o preocupa as tantas mazelas que atinge o nosso país, ainda existem intensos brasileiros, que está e se mantém alheio a tudo isso. O Brasil pede por mudanças, grita por solidariedade, e esses gritos ecoam, a sociedade acorda lentamente, e clama ainda mais por liberdade. Estamos há poucos passos de uma nova conquista, que é eleger a 1ª mulher presidente do nosso país, que demonstra e me passa uma segurança e uma certeza, de que o Brasil, necessita de mudanças, mas de mudanças coletivas.
PODEMOS SER MELHORES SIM, e só melhoramos com o próximo.
A mudança depende de cada um de nós, mas o Brasil só vai pra frente, se fizermos juntos, ou melhor, se acordamos juntos.
O Brasil necessita de uma reeducação social, política, econômica. A reeducação deve partir de cada um de nós, para com o próximo. É necessário entender, a nossa ancestralidade, nossa terra, nossa mente, nossa voz.

domingo, 25 de julho de 2010

Enfim, sonhos.

Comecei a catar as flores do céu de cor laranja, até que em dia, elas sumiram. Tentei entenderqual seria o principal motivo de tal desaparecimento e cheguei a conclusão, que até as flores, entristecem.
Rapidamente, comecei a cantar para os lírios e eles mudaram de cor e entendi que mudanças de canções, fatos e sonhos, submetem-nos a mudanças de rumos. Preferi, então, ficar em silêncio.
Comecei a caminhar, caminhei a noite inteira, relembrei de fatos e rumos que me levaram a ser o que sou hoje, e que somos, constantes mudanças.
Com o tempo aprendemos mil coisas, descobrimos mil razões pra ser e se tornar.
Um dia me perguntaram o que significavam as minhas metáforas, e respondi, que apenas gosto.
E hoje já tenho medo de um montão de coisas.

E perguntei:
_ Faço o quê?
Respondeu:
_ Ahh..és um peixe, és filha de Yemanjá, que dança, sonha, sorri. E tu, tem o sorriso mais lindo.
Novamente, questionei?
_ Mas, posso dar um abraço?
Respondeu-me:
_ Dança um samba, canta um reggae, tem magia que recria.

Acreditei.
O engraçado é que me viu sorrir.
Me apaixonei pela Bossa, cheia de miúdos, de sons e versos, construídos com sonhos, amores e ilusões. Loucamente me apropriei das flautas, das viagens, do baseado, do som da voz do SAX.

E quando vi, só me restavam as raízes.